A história das Escolas: qual a sua origem?

Hoje, sabemos da importância da escola na vida dos cidadãos, pois neste espaço democrático as pessoas adquirem conhecimento, noções de ética e cidadania para a vida toda. É na escola que a pessoa se torna um cidadão pleno perante a sociedade, sendo este ambiente capaz de mudar a realidade de muitas vidas. Porém, quase ninguém sabe sobre a origem das escolas. A história da escola tem início em um sistema primitivo de educação, sendo considerado informal e inadequado para os dias de hoje, no qual o conhecimento era único e exclusivo dos professores. Atualmente, a educação se revolucionou para atender e acompanhar um mundo totalmente digital e participativo, onde alunos e professores trocam conhecimentos.

Curiosidades sobre as escolas

A palavra escola (do grego scholé) significa lazer ou tempo livre. Para educação grega, bastava a formação de homens das classes que governavam o mundo, sendo o mestre responsável pela formação apenas de futuros governantes e pessoas com altos cargos. Os demais integrantes da sociedade não frequentavam as escolas, pois nesta concepção não precisavam ter o conhecimento. Geralmente, o professor da área da filosofia ensinava para os seus discípulos noções de artes, política, filosofia e aritmética. Já na Idade Média, as escolas eram exclusivas dos mosteiros, sendo os religiosos responsáveis por passar conhecimento para crianças e adultos, em um período de educação totalmente elitizada. Para a nobreza, o ler e escrever deveriam ser destinados apenas para as mulheres, pois os nobres se preocupavam apenas em enriquecer. Porém, com o desenvolvimento do comércio os homens se viram obrigados a frequentar escolas para não serem passados para trás pelos seus pares. Neste período, a burguesia via nas escolas uma maneira de controlar os trabalhadores, mostrando o papel distorcido de cada um na sociedade, de acordo com classe e origem.

História das escolas no Brasil

No Brasil, foram os jesuítas que criaram as primeiras escolas no ano de 1549, com o intuito de catequizar índios, sendo considerado um instrumento de controle. Esta situação só mudou no país no final do século XIX, graças ao processo de industrialização quando foi adotado o padrão de educação pública estatal, seguindo os moldes da Alemanha e França. No século XX, as escolas brasileiras tiveram que se adaptar para atender os movimentos estudantis, o surgimento de ONGs, e o movimento das minorias, tornando a escola um local público, gratuito e leigo. Este período passou por várias mudanças que incluíram dar voz aos alunos e, ainda, o processo que ficou conhecido como desescolarização. Atualmente, os profissionais da educação do século XXI enfrentam uma situação nova devido ao avanço tecnológico, sendo necessário modificar o tradicional sistema de educação para se adaptar a geração que já “nasce” mexendo em computadores.

Sobre o Colégio Bastos Maia

Desde 1987, o Colégio Bastos Maia, em Curitiba (PR), forma crianças e jovens com educação de qualidade e profissionais habilitados para suas funções, com total envolvimento de pais, alunos e mestres no processo de ensino-aprendizagem. Saiba mais sobre o Colégio Bastos Maia no site da instituição http://www.bastosmaia.com.br/

Deixe uma resposta

Fechar Menu