O que são as línguas românicas?

As chamadas línguas neolatinas, também conhecidas como línguas românicas, são línguas que, como o próprio nome sugere, surgiram a partir do Latim, mais especificamente o chamado Latim Vulgar. Este último é chamado de “vulgar” pois aqueles que o usavam geralmente eram as classes mais simples de pessoas. As línguas neolatinas são consideradas como uma evolução do latim. Em outras palavras podemos considerá-las como a continuação do chamado latim vulgar. Ele usualmente era falado por mercadores, colonos e soldados na época do Império Romano. Essa forma popular do latim não era a oficial usada no período. A forma clássica da língua ou o que hoje poderíamos dizer, a forma culta, correta, somente era usada pelas classes superiores romanas. A forma clássica consequentemente era a variedade escrita do Latim.

Evolução do Latim para as Línguas Românicas

O Império Romano foi um dos maiores da história, estendendo seus domínios por diversos pontos do mundo. Com a expansão houve uma espécie de mistura de cultura e choque entre povos de diversas línguas. Com o Império Romano se espalhando pelo mundo, o Latim foi junto. É importante destacar que o Latim em sua forma clássica não foi o que mais se espalhou e sim o vulgar, até mesmo por questões de assimilação e facilidade na formação de outros dialetos. Um bom exemplo de como as variedades do latim se espalharam pelo mundo é o de países como  França e Portugal, que também começaram sua expansão territorial para outros continentes em suas épocas. Com isso, regiões que nunca tiveram contato com alguma forma do latim passaram a ter. A mesma coisa já havia ocorrido antes com a expansão romana. As variações do latim vulgar se espalharam tanto pelo mundo (comércio, navegações, expansões de território), que cerca de 70% das línguas neolatinas são ou foram usadas em algum momento fora do território europeu.

Entre as principais línguas neolatinas vamos encontrar o Português, Italiano, Espanhol, Catalão, Francês, Romeno, Provençal e Galego. Essas são as que resistiram ao tempo. Porém, ainda há outras línguas neolatinas, mas elas não possuíam muita expressão, já que foram usadas por um número relativamente baixo de pessoas. O Sardo, o Romanche e o Dalmático são algumas dessas que praticamente são desconhecidas, sendo que algumas já nem existem mais e por isso são consideradas línguas mortas.

Deixe uma resposta

Fechar Menu