Quem foi Dom Pedro I

Nascido em Lisboa, Portugal, Dom Pedro I foi Rei de Portugal e primeiro imperador do Brasil. Filho de Dona Carlota Joaquina de Bourbon e Dom João VI, nasceu em 1798, no dia 12 de outubro. O começo de sua infância se passou no palácio de Queluz.

No dia 29 de novembro de 1807 Napoleão ameaçava invadir Portugal, assim sendo, a família real partiu para o Brasil e chegou ao Rio de Janeiro em março de 1808. A essa altura com nove anos, Pedro aprendeu a pintar, tocar e compor pequenos fragmentos.

Em 1816, no mês de março, a morte de Dona Maria I, sua avó, fez com que Dom João fosse proclamado Rei de Portugal e tornando Dom Pedro herdeiro direto do trono, já que seu irmão Antônio havia morrido. Dom Pedro se casou em 5 de Novembro de 1817 com a filha do imperador da Áustria, a Arquiduquesa Carolina Josefa Leopoldina com quem  teve sete, dos seus dezoito filhos.

Diga ao povo que Fico

No ano de 1820, Portugal viveu um período de crise social e política. O destino do Reino Unido era incerto, a Revolução Liberal do Porto tomou o país e a constituição ditava as regras. Dom Pedro ficou no Brasil, como príncipe regente enquanto seus pais voltaram para Lisboa no ano seguinte. Lá foi decretado que D. Pedro deveria voltar para a Europa e deixar que o Brasil fosse novamente uma colônia.

Grande parte da população condenou o decreto da corte portuguesa. Mais de oito mil assinaturas chegaram às mãos de D. Pedro num abaixo-assinado que exigia sua continuidade no Brasil. O dia 9 Janeiro de 1822 ficou conhecido como o Dia do Fico, quando Dom Pedro declarou publicamente que permaneceria no país. Sua decisão, porém, desagradou a Corte, em Lisboa que deixou de pagar seus rendimentos.

Independência ou morte

Em 7 de setembro de 1822, Dom Pedro viaja para a São Paulo recebendo uma carta de Portugal com a notícia de que deixara de ser regente para virar delegado da corte. Insatisfeito, se desligou completamente de Portugal naquele momento, declarando a Independência do Brasil às margens do rio Ipiranga. De volta ao Rio de Janeiro, onde morava, foi aclamado como Imperador do país. O acontecimento foi celebrado onde hoje é a Praça da República. No primeiro dia de dezembro daquele ano recebeu a coroa.

Passando por dificuldades financeiras e revoltas públicas, o Imperador instaurou a Câmara e o Senado em 1826. Nesse mesmo ano, seu pai Dom João VI morreu e Dom Pedro I, indo contra a constituição brasileira vigente, tornou-se o 27º Rei de Portugal, nomeado como Pedro IV.

Atritos políticos

Seu prestígio público foi diminuído e, como ele não poderia manter os dois títulos, desistiu do trono de Portugal em favor de sua primogênita de sete anos, Maria da Glória (agora chamada Maria II).

Depois de governar o Brasil como Imperador por nove anos, D. Pedro I não suportou as complicações com a assembleia e sua impopularidade. Em abril de 1831 renegou o trono em benefício de Pedro II, seu filho.

De volta a Lisboa, era agora Duque de Bragança. Lá venceu o irmão, que havia tomado o trono de sua filha Maria II e restituiu o absolutismo. Dom Pedro I morreu por conta da tuberculose, no palácio de Queluz. Em seu testamento exigia que fosse enterrado como general e não enquanto rei. Hoje seus restos mortais se encontram em São Paulo, no Museu do Ipiranga, em sua cripta.

Quer saber sobre outros assuntos? Clique no site do Colégio Bastos Maia e saiba mais sobre curiosidades, atualidades e outras histórias. 

Deixe uma resposta

Fechar Menu